OUÇA MÚSICAS INSPIRADAS

25 de out de 2009

20 - O Culto Infantil

Introdução:

A idéia de organizar o Culto Infantil deve ser de todo aquele, que se preocupa com o desenvolvimento espiritual das crianças.
Esta também foi à preocupação de Deus, ou seja, de ensinar as crianças: “tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” - Dt 6.7
Também Jesus fez a seguinte recomendação: “Jesus, porém, chamando-as para junto de si, ordenou: Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus.” - Lc 18.16
Normalmente as crianças são colocadas nas piores instalações das Igrejas, e nesse lugar, como poderemos ensiná-las corretamente?
Tanto a mensagem, como o local e até mesmo o material didático devem ser os melhores.
Lembre-se, que estamos formando os futuros líderes da Igreja de Cristo, e como teremos Igrejas fortes se não investirmos hoje no ministério junto às crianças?
Este é o investimento que o retorno é garantido. Pense nisso!

O Que é Propósito?

Em tudo o que fazemos, devemos ter propósitos. Sem propósitos bem definidos, qualquer projeto, por melhor que pareça, está fadado a não dar certo.
Propósito é o objetivo, o alvo que se quer alcançar, por isso o propósito vem antes do que o planejamento.
Sem definir os objetivos, os alvos a serem alcançados, não se pode planejar nada e nem realizar nada.
Antes do propósito só vem o sonho, porque o sonho vem de Deus, e quando Deus dá um sonho é por que Ele quer realizar alguma coisa através de nós.

Qual o propósito do Culto Infantil?

1 - Proporcionar à criança a formação necessária ao desenvolvimento de sua vida cristã.
2 - Criar condições para a criança possa se desenvolver dentro da Igreja através de oportunidades.
3 - Facilitar o entrosamento entre as crianças, permitindo assim que desenvolvam sociabilidade e estabilidade emocional.
4 - Ajudá-las a terem um relacionamento espiritual com Deus, que lhe permita ter um encontro pessoal para a salvação em Cristo Jesus.

Como alcançar os propósitos do Culto Infantil?

Esta pergunta o educador deve estar fazendo toda a semana: Como alcançarei os propósitos, que foi traçado para o Culto Infantil?
Ao parar para responder a essa pergunta, o educador nunca perderá de vista os propósitos de estar realizando aquela atividade, que no nosso caso é o Culto Infantil.
Para alcançar os propósitos você precisa ter PLANEJAMENTO.
O planejamento das atividades é fundamental para se ter bom êxito e alcançar os objetivos.

Como fazer um Planejamento que seja eficaz?

Para planejar você precisa conhecer seu “PÚBLICO ALVO”, para assim, melhor definir a maneira de alcançá-los.

Vejamos alguns pontos:

• Quantas crianças em média terão nos Cultos infantis aos domingos.
• Quais são as faixas etárias.
• Quantos professores e auxiliares serão necessário.
• Quantas salas, equipamentos, materiais diversos, etc. precisarão para desenvolver as atividades.
• De onde virá os recursos financeiros semanais para o lanche e, periodicamente, para os materiais das atividades, etc.

Um planejamento eficiente garante êxito nos propósitos gerais e nos objetivos específicos.

Como ter uma Didática eficiente para o Culto Infantil?

A primeira coisa é a verdadeira definição do que seja um Culto Infantil. O Culto Infantil é um Culto de Louvor e Adoração prestado a Deus pelas crianças, e não um momento de lazer, para não atrapalharem os adultos na hora da mensagem do culto da Igreja.
Deve-se evitar usar esse tempo com brincadeiras, ao menos que essas venham contribuir para melhorar o entendimento da mensagem que se quer transmitir.
Para as crianças que ainda não foram alfabetizadas, podem-se elaborar atividades que incluam algum tipo de brincadeira.
Em muitos lugares o Culto Infantil é chamado de “cultinho”, isso traz efeito negativo, pois dá a entender que aquele momento não tem a seriedade que lhe é devida.
Como as crianças não conseguem, pela maturidade que tem, prestar a atenção e participar do Culto da igreja, deve-se realizar o Culto para elas de forma que elas participem e entendam.

Essa didática deve incluir:

1. Cânticos.
- Devem ser alegres e preferivelmente, que apontem em direção a mensagem ou história a ser pregada.
- Antes de cantar ou ensinar qualquer cântico, deve-se analisar a letra para ver se está de acordo com o que cremos e aceitamos doutrinariamente.
- Às vezes, certos cânticos são por demais abstratos e alegóricos, e se não houver uma explicação, as crianças não entenderão o sentido ou terão entendimento errado da mensagem que queremos passar.
- Sempre que for possível, o ideal é que os cânticos a serem cantados sejam reproduzidos no Projetor de Transparências ou no Data show.

2. Leituras da Bíblia.

- De preferência na Linguagem de Hoje, pois é mais fácil para as crianças entenderem.
- Devem-se ler textos pequenos para que as crianças possam gravar, e se possível destacar um versículo e repeti-lo algumas vezes.

3. Oração.
- A oração é de suma importância no Culto Infantil, pois é também nele, que se ensina a criança a orar.
- Devem-se tomar cuidado com aquele tipo de oração em que o dirigente fala e as crianças repetem. Esse método é bom para ensinar as crianças de pequena faixa etária, contudo não deve ser aplicado às crianças maiores do que 5 anos.
- Quando o dirigente fizer uma oração, deve lembrar que a sua oração deve ser simples, objetiva e curta, pois assim as crianças estarão entendendo e aprendendo com mais facilidade.

4. Mensagem.
- O ponto principal da mensagem no Culto Infantil é que ela deve ter uma linguagem simples, sem muitos sinônimos para que a criança seja alcançada.
- Simplicidade não quer dizer despreparo, feita de qualquer jeito, mas sim, que deve ter todos os pontos necessários, mas com um vocabulário de palavras simples.

4.1) O Sermão infantil deve ser interativo.
- A mensagem deve interagir com as crianças. O sermão e a ilustração devem ser flexíveis, podemos variar no decorrer da mensagem em função do que está acontecendo ao redor.
- Muitas das vezes alguma criança fala alguma coisa referente ao que se está falando, e é nesse momento que aquele que está pregando ou dando a lição deve aproveitar para melhor comunicar a mensagem.

4.2) O Sermão infantil deve ser Bíblico e Teológico.
- Não é porque está sendo pregado para as crianças, que se pode falar qualquer coisa no sermão.
- Mesmo uma ilustração deve estar aliada a um versículo da Bíblia, e o versículo deve ser explicado detalhadamente para que as crianças possam guardar.
- No final da mensagem ou da ilustração o versículo que serviu de base, deve ter sido decorado para melhor fixação na mente das crianças.

4.3) O Sermão infantil deve ter um apelo.
- Erroneamente, na maioria dos cultos presbiterianos, foi abolido o “apelo”.
- É no final da mensagem ou ilustração, que você deve levar a criança a dar uma resposta ao que foi pregado.
- É nesse momento que verificamos se a mensagem ou a ilustração alcançou o seu propósito.

- Algumas considerações precisamos fazer:

a) O apelo não é somente visando à salvação, mas quando no Culto Infantil há crianças não crentes, esse apelo é importante.

b) O apelo é uma resposta do que foi ensinado. Por exemplo: de obediência, de santificação, de fidelidade (as crianças devem aprender desde pequenas sobre o dízimo e ofertas), de missões, etc.

c) O apelo deve ser breve e objetivo. Você deve ser paciente quanto à reação das crianças.

d) O apelo deve ser claro, não pode levar as crianças a terem dúvidas do que se está apelando.

5. Lanche.
- A questão do lanche é muito discutida entre os líderes de Culto Infantil.
- Há os prós e os contra desta prática, contudo creio, que oferecer um lanche as crianças, traz mais benefício do que malefício.
- É nesse momento de descontração, que pode haver uma maior confraternização entre as crianças da Igreja, e entre essas e as visitantes.
- A questão do lanche é muito própria a cada Igreja e sua liderança.

Qual a importância do recurso Audiovisual?

As crianças dos dias de hoje estão acostumadas em receber informações através de recursos audiovisuais, portanto ao realizar o Culto Infantil, devem-se usar esses meios para que a mensagem as alcance melhor.

É bom saber que, uma pesquisa realizada sobre o aprendizado, chegou à seguinte conclusão:

1% do que se aprende vem através do paladar;
1,5% vem através do toque;
3,5% vem através do cheiro;
11% vem através do ouvido; e pasmem...
83% do que se aprende vem através da VISÃO.

Veja como, em relação aos recursos audiovisuais, eles melhoram em muito a memória para gravar as informações:

Método de Comunicação:
O que se Lembra 3 horas depois: O professor só falando 70% - O professor só mostrando 72% - O professor falando e mostrando 85%

O que se Lembra 3 dias depois: O professor só falando 10% - O professor só mostrando 20% - O professor falando e mostrando 65%

Com respeito ao conhecimento que uma pessoa obteve, 80% vêm pelos olhos. Quase que invariavelmente lembramos bem mais aquilo que vemos do que aquilo que ouvimos.
Para a criança, a parte visual é a mais relevante, pois é a partir dela que a criança interiormente formará conceitos do que está ouvindo.
A criança parte do real para o irreal. Ver, ouvir e tocar é o princípio básico para se imaginar o invisível e o abstrato.
É sempre mais fácil aprender quando podemos usar os nossos sentidos para fazê-lo.
Os recursos audiovisuais estimulam o interesse, aceleram a aprendizagem, evitam mal entendidos, e, melhoram a memória.

Há necessidade de se ter um Boletim Dominical Infantil?

Se você vai preparar um Culto Infantil, pense também em preparar um Boletim para as crianças.

O Conteúdo deve ter a ordem do culto, avisos, cânticos, perguntas do catecismo infantil, passatempo bíblico, aniversariantes, assuntos da UCP, pedido de oração, etc.
O Boletim Infantil pode ter diversos formatos, mas o mais usual é a metade da folha A4 ou Ofício dobrada no meio. A disposição dos assuntos cada líder coloca a sua, contudo na primeira página deve ter o nome da Igreja, endereço, telefone, nome do Pastor e data e número do boletim.
O boletim Dominical Infantil é de extrema relevância, pois permite dar a criança estímulo e valoriza o Culto Infantil.

A Importância do Corpo Docente.

É de fundamental importância o corpo docente, pois são os professores que darão o conteúdo programado para as crianças.

Características que um professor deve ter:
 Deve ser convicto da sua salvação.
 Deve ser dedicado (Estudar a bíblia e a lição dependente do Espírito Santo).
 Deve ser vocacionado por Deus.
 Deve ter amor e compreensão.
 Deve ter visão (acreditar no projeto de Deus para as crianças).
 Deve ter responsabilidade (pontualidade, assuidade, organização, tempo).
 Dever ter vida cristrocêntrica (o professor é um espelho)
 Deve ter vida de oração.
 Deve ser persistente.
 Deve ser atualizado.
 Deve ter boa apresentação.
 Deve ter disposição
 Deve ter interesse pelos alunos.

Os 10 mandamentos para o professor cristão:

1. Dependa do Espírito Santo
2. Use métodos apropriados ao conteúdo da lição
3. Prepare bem a aula com antecedência
4. Desenvolva as idéias com entusiasmo
5. Tenha coragem para experimentar idéias novas
6. Seja sensível às necessidade e expectativa dos alunos
7. Adapte as idéias de aula a aula
8. Use um plano de aula
9. Avalie bem a aula e os métodos depois da lição dada.
10. Varie as idéias de aula em aula.

Conclusão:

- O Culto Infantil bem realizado, é uma bênção para as crianças.
- Educa a Criança no caminho em que ela deve andar e nunca se desviará dele.
- Que possamos desenvolver este ministério com alegria e eficiência dentro de nossas Igrejas. Amém!

2 comentários:

  1. pASTOR, ameiii a postagem sobre o culto infantil...Gostei muito mesmo..Que Deus continue nos abençoando ao usar suas mensagens!
    Abraçoos!

    ResponderExcluir
  2. Ambientes barulhentos agridem o bebê

    Na 22ª. segunda semana de gravidez, a cóclea, órgão que abriga todos os componentes da audição dentro da orelha interna, já está completamente formada. Isso quer dizer que o bebê ouve a mesma coisa que você.

    Estudos já demonstraram que o líquido amniótico pode amplificar alguns tipos de som, como os muito graves. A voz da mãe também é amplificada em cerca de 5 decibéis.

    Um estudo chegou a mostrar que mulheres que trabalhavam oito horas por dia num ambiente de muito barulho (em volumes que exigiam proteção auricular) corriam mais risco de ter bebês com problemas auditivos.

    Além disso, é preciso considerar que um barulho muito forte faz com que o organismo da mãe produza hormônios ligados ao estresse, fazendo o coração acelerar, o que não é bom para a saúde cardíaca do bebê.

    Os bebês, desde o útero materno, ouvem e reconhecem vozes. Sabe-se também que são capazes de sentir emoções da mãe, de se assustar e que após o nascimento terão memórias da vida intra uterina.

    O psiquiatra canadense Thomas Verny explica no livro “Bebês do Amanhã: Arte e Ciência de Ser Pais”, que desde os primeiros meses de gestação, a criança é capaz de identificar certos acontecimentos.

    “Com 4 meses e meio, se você acender uma luz forte na barriga de uma gestante, o bebê vai reagir. Se fizer um barulho alto, ele tenta colocar as mãos nas orelhas. Se colocar açúcar no liquido amniótico, ele vai dobrar a ingestão. Bebês gostam de açúcar! Quando se coloca algo amargo, o bebê para de tomar o líquido e faz cara feia. Eles sentem a diferença entre doce e amargo, reagem à luz, ao toque e ao barulho.”

    Vídeo-game e todos os brinquedos sonoros devem ser avaliados pelo som que emitem. “O sistema auditivo é um órgão sensorial extremamente delicado e passível de lesões se for muito carregado, principalmente em bebês, que têm uma sensibilidade auditiva muito apurada. A célula ciliada do ouvido interno do bebê sofre com o ruído excessivo e esse abuso pode acabar levando à sua destruição”, alerta o otorrinolaringologista Jamal Azzam.

    A indicação é sempre manter os pequenos longe de ambientes muito barulhentos, seja um local fechado ou na rua, onde o som do trânsito também causa incômodo. Se for inevitável fugir desses locais, o ideal é proteger os ouvidos da maneira certa. “Muitos pais usam algodão para tapar o canal auditivo, mas isso não garante a vedação necessária do som. Uma opção é usar fones de ouvido de boa qualidade que preservem a audição”, finaliza Azzam.

    “Há uma região no cérebro chamada “tálamo”. Esta é a parte do cérebro na qual a música é percebida. No tálamo as emoções, sensações e sentimentos são percebidos antes destes estímulos serem submetidos às partes do cérebro responsáveis pela razão. A música, portanto, não depende do sistema nervoso central para ser assimilada imediatamente pelo cérebro. Ela passa pelo aparelho auditivo, pelo tálamo e depois vai ao lobo central.

    A “batida” que substitui o ritmo provoca um estado de emoção que a mente não discerne. Desorganiza a química. As batidas graves da percussão afetam o líquido cerebrospinal.
    O volume (amplificado) das músicas acima de 50 decibéis prejudica a audição e a saúde cerebral”.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir